Fanfiction: Card Captor Shoran – Capítulo 9

Capítulo 9

Na escola

Segunda-feira, bem cedo, Shoran e Sakura chegaram à escola para arrumar a sala de aula. Estando sozinhos, foram surpreendidos pelas cartas The Libra e The Through. Felizmente eles conseguiram capturá-las antes que seus colegas chegassem.

Na casa da Tomoyo

Shoran e Sakura foram à casa de Tomoyo no domingo para fazer um trabalho de grupo. Quando estavam quase terminando, Tomoyo disse que precisava telefonar para sua mãe e saiu, deixando Shoran e Sakura sozinhos. Eles terminaram o trabalho, guardaram canetas e livros, mas Tomoyo ainda não tinha voltado. Eles começaram a conversar para matar o tempo, pois não queriam ir embora sem se despedir da amiga.
– Eu posso ver as suas cartas, Shoran? – Perguntou Sakura, tirando suas próprias cartas do bolso.
– Claro – Shoran entregou a Sakura as 26 cartas que tinha capturado até aquele momento.
– Essas cartas são muito bonitas: o verso é verde escuro e dourado e a frente é pintada de verde e amarelo claros.
– É interessante verificar que, embora elas pareçam iguais às suas, elas se mostram levemente diferentes, tanto na vestimenta quanto na posição em que se apresentam.
– Isso também aconteceu com as Cartas Clow quando elas se transformaram em Cartas Sakura. Algumas até ficaram um pouco diferentes na hora de usar, como a alada.
– É, essas cartas também tem leves diferenças com relação às Cartas Clow. É como se elas tivessem sido criadas usando as Cartas Clow como base.
– Acha que foi isso que aconteceu?
– Se a teoria das dimensões paralelas da Tomoyo estiver correta, talvez numa outra realidade eu tenha sido escolhido por Clow para ser o mestre das cartas e, depois de capturá-las, tenha mudado seu poder e as transformado em Cartas Shoran, assim como você fez com as Cartas Skaura.
– Quando eu descobri que você era descendente do Mago Clow e que tinha muitos conhecimentos sobre magia, eu achei que você é que devia ser o mestre das Cartas Clow. Eu até cheguei a dizer isso ao Kero, mas ele falou que o destino havia me escolhido, porque fui eu que encontrei o livro e rompi o seu lacre. Mas por muitas vezes eu duvidei que fosse capaz de me transformar em mestra das Cartas Clow. Quando as cartas perderam o controle ao serem transformadas em Cartas Sakura e quando Yue quase desapareceu por causa da minha falta de poderes mágicos, eu me senti muito mal por não ser mais forte.
– Eu também costumava achar que devia ser o mestre das Cartas Clow, mas eu não penso mais assim.
– Não? E por quê?
– Porque o conhecimento sobre magia e hereditariedade não são tudo. Eu refleti muito e percebi que o carinho que sente pelos guardiões e pelas cartas e seu pensamento positivo foram determinantes para que você triunfasse onde eu falhei. Além do mais – disse Shoran, segurando as mãos de Sakura entre as suas -, se eu tivesse aberto o livro e não você, muitas coisas seriam diferentes. Provavelmente o livro teria sido deixado na China e não aqui e nós nunca teriamos nos conhecido… E eu não gostaria que as coisas tivessem sido assim.
– Nem eu. – Sakura sabia que Shoran era muito importante para ela. Se ele não estivesse com ela, nada seria o mesmo. É certo que eles brigavam muito no início, mas os bons momentos que passaram depois que se tornaram amigos eram maravilhosos e insubstituíveis. Repentinamente, Shoran e Sakura perceberam que estavam de mãos dadas. Eles ficaram muito envergonhados, coraram fortemente e então se soltaram, muito sem graça. Nesse momento, eles começaram a sentir a presença de Cartas Shoran. Antes mesmo da Tomoyo voltar de seu longo “telefonema para a mãe” – ou seja, a desculpa que ela usara para deixar Sakura e Shoran a sós -, os dois capturaram mais três cartas: The Sweet, The Freeze e The Shield.

No Templo Tsukimine

Shoran e Sakura marcaram de se encontrar, sábado à noite, no Templo Tsukimine. Era um lugar amplo e tranquilo onde tinham encontrado várias Cartas Clow no passado e onde esperavam encontrar algumas Cartas Shoran. Eles não tinham capturado nenhuma carta por algum tempo e pensaram que deveriam escolher um lugar onde pudessem ficar sozinhos tempo suficiente para que as cartas aparecessem. Eles já tinham feito isso antes, por sugestão de Tomoyo, e tinha funcionado, por isso decidiram tentar novamente.
Era sempre assim, Shoran e Sakura saiam sozinhos, passavam algum tempo conversando, então eles sentiam a presença das cartas, as encontravam, batalhavam com elas e as selavam e depois Shoran acompanhava Sakura até sua casa. Desde que Kero e Ura se machucaram numa dessas ecasiões, Sakura e Shoran decidiram não levar mais seus guardiões com eles. Sakura não queria que eles se ferissem novamente e Shoran afirmava que eles mais atrapalhavam do que ajudavam, embora também estivesse preocupado com a integridade física dos pequenos seres mágicos. Além disso, em geral, as cartas não eram excessivamente agressivas e capturá-las não era nem de perto tão arriscado quanto capturar as Cartas Clow ou criar as Cartas Sakura.
Sendo assim, durante a semana, Kero e Ura passavam a maior parte do tempo juntos na casa da Sakura, jogando video-game. Nos fins-de-semana, o pai e o irmão de Sakura ficavam mais em casa e eles corriam mais risco de serem vistos, então eles preferiam ir para a casa do Shoran, onde não havia ninguém e eles podiam passear tranquilamente por todos os lados – principalmente a cozinha, no caso desses gulosos bichinhos.
Kero e Ura não desgrudavam mais um do outro. O relacionamento deles também provocou mudanças nos dois: Kero não parecia ter tanta vontade de ofender Shoran e Ura diminuíra drasticamente sua cota diária de abraços constrangedores em seu mestre. O grande beneficiado por esses mudanças foi Shoran, que se sentia enormemente agradecido pelos dois guardiões se darem tão bem.
Shoran estava muito contente, não só por não ter mais que se preocupar com os insultos de Kero e as demonstrações de afeto de Ura, mas porque as Cartas Shoran estavam sendo relativamente fáceis de capturar. Ele tinha metade de um deque de cartas, Sakura tinha um deque completo e eles conheciam bem os poderes de todas aquelas cartas, pois já haviam capturado todas elas no passado. Somado a isso, havia o fato de que essas novas cartas não pareciam tão perigosas quanto as Cartas Clow. Algumas vezes eles tinham a sensação de que as cartas atacavam propositadamente de modo a não expô-los a nenhum perigo real.
Era sobre tudo isso que os cardcaptors estavam conversando essa noite.
– Sabe, Sakura – disse Shoran -, as Cartas Clow, quando perderam o selo, pareciam descontroladas e atacavam com todas as forças. Elas quase nos mataram várias vezes. Elas também apareciam na frente de várias pessoas e nos momentos mais impróprios: no meio de festivais, competições, peças de teatro e passeios da escola. Essas cartas, por outro lado, aparecem apenas em momentos que parecem propositalmente escolhidos, atacam em grupo e de forma sincronizada. É quase como se alguém as controlasse.
– Eu acho que você tem razão. Eu também tive essa impressão, Shoran. Mas acontece que, no momento em que as cartas atacam, nós só sentimos as nossas próprias presenças mágicas e as das cartas. Nós não sentimos uma presença mágica misteriosa, como acontecia quando Eriol isolava a área com sua magia para poder nos atacar sem que ninguém mais aparecesse.
– É verdade…
– Você perguntou a Ura-chan a opinião dela sobre isso?
– A Ura diz que não consegue entender como as cartas puderam perder o lacre se o meu nome estava escrito nelas. Ela não sabe explicar por que as cartas atacam sem que eu as comande – Shoran suspirou profundamente e depois continuou -. A verdade é que ela não é muito útil como guardiã: ela não sabe como as cartas foram retiradas do livro, não sabe como perderam o lacre e não sabe ao certo que as criou – Shoran balançou a cabeça em sinal de desesperança -. Nunca pensei que diria isso, mas até o Kerberus foi mais eficiente em seu trabalho como guardião das Cartas Clow do que a Ura está sendo agora. Basicamente temos que nos virar sozinhos e tudo com que contamos é a nossa magia, o nosso conhecimento sobre as Cartas Clow e uma ou outra coincidência que acabamos por identificar como padrão e passamos a utilizar ao nosso favor nas capturas.
– Não seja tão duro com a Ura-chan, ela faz o melhor que pode – disse Sakura.
– Eu sei que faz. Também sei que o que está acontecendo não é culpa dela – concordou Shoran -. Além do mais, tenho que ser grato a Ura: depois que Kerberus a conheceu, ele parou de me aborrecer – Shoran refletiu um pouco e depois continuou -. Acho que, de uma forma estranha, o aparecimento dessas cartas misteriosas me ajudou bastante e tudo parece bem melhor agora do que antes. Até a minha mãe foi obrigada a deixar ficar por mais algum tempo no Japão.
– Quer dizer que você teria mesmo ido embora para Hong Kong se as Cartas Shoran não tivessem aparecido? – Perguntou Sakura.
– Minha mãe já tinha comprado as passagens. Eu estava terminando de arrumar as malas quando o livro apareceu – respondeu Shoran com um olhar distante, como se tentasse se lembrar de algo que acontecera há uma eternidade, embora fizesse apenas pouco mais de um mês.
– Mas você não me disse que estava indo embora…
– Eu ia na sua casa te contar e me despedir no dia que o livro apareceu.
Sakura permaneceu em silência por alguns instantes. A idéia de que Shoran esteve a ponto de voltar definitivamente para a China a abalou de uma maneira inesperada.
– Quando a captura das Cartas Shoran terminar, você vai embora pra Hong Kong?
– Provavelmente sim.
– Quer dizer que há uma chance de você ficar no Japão? – Sakura se viu se agarrando a essa possibilidade com unhas e dentes.
– Eu não sei, Sakura. Quando eu vim para o Japão, minha família não pretendia que eu ficasse longe por muito tempo, mas a captura das Cartas Clow durou mais do que havíamos previsto. Logo depois vieram os acontecimentos estranhos que culminaram na transformação das Cartas Sakura e agora essas cartas mágicas que ninguém sabe bem de onde vieram. Minha estada aqui no japão se prolongou demais e minha mãe quer que eu volte para cumprir minhas obrigações para com a família.
– Obrigações?! Como fazer o jantar e limpar a casa? – Essas eram as únicas obrigações familiares que Sakura conhecia.
– Não, Sakura, não é desse tipo de obrigações que eu estou falando. É que, quando o meu pai morreu, eu, como único filho homem e seu herdeiro, me tornei dono de todos os bens que pertenciam a ele. Eu não fui criado apenas para lutar artes marciais e usar magia, eu também fui educado para tomar conta dos negócios da família.
– Entendo… – Mas Sakura não entendia. A vida de Shoran era muito diferente da dela. Com tantas responsabilidades, era normal que ele fosse tão sério e formal quando se conheceram. Olhando para o passado, era fácil perceber o quanto ele tinha mudado: ele agora era mais gentil, mais carinhoso e mais aberto. Antes, ele jamais teria lhe feito confidências.
Nesse momento apareceram as cartas The Dash e The Jump, as quais, depois de muita correria e do uso das cartas The Loop, The Watery e The Freeze, para impedir que as cartas se afastassem muito e para tornar o chão liso e escorregadio, as Cartas Shoran foram seladas.
Na volta para casa, Sakura estava muito calada. Alguns dias antes ela tinha começado a pensar que talvez tivesse se apaixonado por Shoran e agora tinha que conviver com a idéia de que a estada dele no Japão era temporária e estava prestes a terminar. Tão logo terminasse de capturar as cartas, sua mãe o chamaria de volta a Hong Kong e ele teia que ir para cumprir suas obrigações perante a sua família.

No próximo capítulo, o final do fanfic Card Captor Shoran: a verdade sobre as cartas misteriosas e o destino do amor entre Sakura e Shoran.

Clique aqui para ler os outros capítulos

Fanfiction é um texto de ficção escrito por fãs como forma de divulgar suas séries favoritas.
Card Captor Sakura e todas as suas personagens são de propriedade do CLAMP.
O presente blog não tem fins lucrativos.

~ por midorihoshi em janeiro 2, 2011.

2 Respostas to “Fanfiction: Card Captor Shoran – Capítulo 9”

  1. Starcat,
    Muito obrigada. Que bom que gostou! O capítulo 10 vai ser publicado no domingo, dia 9 de janeiro de 2011.
    Depois pretendo publicar um fanfic de Cavaleiros do Zodíaco.
    Obrigada pela visita e volte sempre!
    Midori Hoshi

  2. que legal! quando vai lançar o cap. 10?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: